Governança para Empresas Familiares

Por: Edisson Schwartzhaupt | 24 março 2022 | assembleia, conselho, empresasfamiliares, Estratégia, governança
Artigo, Empreendedorismo

A governança voltada para empresas familiares é um assunto muito recente e de extrema importância, visto que introduz esse segmento empresarial no mundo das governanças. Tendo isto em mente, estabelecer critérios é fundamental, pois além de manter a organização, ainda acarreta no desenvolvimento de práticas que garantem a longevidade do negócio familiar. Dentro de cada uma dessas empresas, diferentes modelos serão necessários a fim de estabelecer suas diretrizes. 

Os três pontos principais

Existem três pontos essenciais para que a governança seja efetiva em suas atividades: 

1Criar e valorizar uma identidade apropriada para a organização e seus membros, pois é através disso que se definem os valores familiares que a empresa irá carregar, reforçando também a identidade da marca. 

2Estabelecer uma direção racional e incentivadora da marca. Assim, é possível visualizar a missão da empresa, planejando com mais clareza as estratégias que serão utilizadas.

3Disciplina. Para isso é preciso manter a determinação da família em suas funções e relações. 

Fortalecendo o compromisso com seu objetivo principal, se constrói um cenário de confiança entre a empresa e a família. Essa disciplina é fundamental para construir confiança entre os próprios acionistas, em busca de contribuição e preservação do negócio.

Esses aspectos buscam estabelecer liderança e diretrizes no negócio, ao mesmo tempo que preservam a vida em família, sem substituir a educação familiar clássica, por exemplo. Nesse sentido, a governança possibilita alguns parâmetros administrativos, mas não se sobrepõe aos valores familiares, como o amor e a atenção.

assembleia da familia

 

Estruturas da família: assembleia e conselho

Para estruturar uma empresa familiar e organizar as atividades, a família é dividida em dois grupos: a assembleia e o conselho da família. Esse tipo de estrutura serve principalmente para famílias que cresceram e se espalharam, não conseguindo manter uma frequência de encontros. 

Assembleia:

É composta por todos os membros da família, que se reúnem até duas vezes ao ano para conferir e dar aval para o trabalho feito pelo conselho. A principal função da assembleia é comparecer a essas reuniões, atendendo um cronograma de atividades, onde todos os parentes podem opinar. Nessas atividades acontecem discussões e conversas a respeito dos projetos e objetivos determinados. 

A assembleia é necessária em eventos que unem a família, criando um senso de unidade, identidade e orgulho entre os membros. O diálogo e a interação entre os familiares é o mais importante, permitindo opiniões, sugestões e demonstrações de confiança, tanto para o negócio quanto para a família.

Conselho:

É responsável por definir a missão da empresa, elaborando planos e organizando encontros. Também estabelecem regras e acordos, sobre a relação com acionistas e entre os parentes. São uma série de funções exercidas, como fortalecer a disciplina, otimizar a comunicação, capacitar os membros e cuidar da sustentabilidade financeira. 

Quando a família é pequena, o conselho pode acomodar todos os membros, mas se a família é muito grande, terá que comportar apenas uma parcela, que serão eleitos pela assembleia, permanecendo por 2 ou 3 anos. Essa divisão tem como objetivo planejar os eventos, descrever os termos políticos da família e reforçar a comunicação entre os membros. É um grupo mais voltado para o trabalho, e suas tarefas passarão pela avaliação da assembleia. 

Levando em conta essa estrutura, a família deve sempre ter uma perspectiva ampla de pertencimento, em que os membros não se atenham apenas a um pequeno grupo familiar. Todo processo de governança para os negócios familiares se baseia nas decisões por consenso, no respeito, na confiança e na priorização de tópicos mais importantes. Assim os familiares se mantêm eficientes, possibilitando um bom funcionamento da empresa e da família. 

Fontes: Davis, John A. – A Governança da Família Empresária. Harvard Business School. 

Voltar