+55 (51) 3061.0877

bliss@blissestrategia.com.br

Continue conectado

Post do blog

A quem mudamos?

13 setembro 2018 | in Artigo | by Heloisa Kanter

Há um pequeno experimento, super simples, mas com um grande ensinamento. Consiste em esticar o braço à frente, com o polegar voltado para cima, em sinal de OK. Então devemos fechar um olho e olhar para o polegar, depois trocamos, fechamos o outro olho e olhamos para o polegar (espero que tentem também!).

O que acontece? Parece que o dedo muda de lugar, embora continue exatamente no mesmo lugar, o que mudou, na verdade, foi nosso ângulo da visão, nossa perspectiva.

E é este o ponto que quero trazer, o que pudemos mudar, o que está em nosso poder de mudança é aquilo que nos diz respeito. Agimos sobre nosso ponto de visão, nossa perspectiva, nossas crenças, comportamentos, atitudes….

Em meu trabalho com empresas, uma das grandes problemáticas é a insatisfação interna – seja com o outro sócio, gestor, subordinado, colega ou, até mesmo, com o possível sucessor – a outra pessoa é o problema, um quer mudar o outro (“O outro diretor não tem a mesma visão que a minha”, “Como ela irá assumir a empresa, ainda tem muito a se adaptar a como conduzo este negócio”, “Essa equipe é pouco comprometida”, “O coordenador não gerencia sua equipe, por isso não temos resultados”, “Aqui ninguém resolve nada, não tomam à frente”). O desejo é quase sempre o mesmo, que a consultoria mude as demais pessoas, preferencialmente em um passe de mágica.

Mas o que realmente podemos mudar é o conjunto, é a perspectiva de todos. Fazemos isso introduzindo novas forma de encarar os problemas ou construindo novos formatos de relacionamento/de comunicação ou, então, adotando um novo modelo de encarar os problemas e a busca pela solução. As mudanças que levam a patamares superiores e de forma perene são construídas com todos os agentes envolvidos, todos se modificam, mudamos juntos o ponto de visão.

E você quer mudar algo? Então esteja pronto para mudar a si mesmo, mantenha uma atitude aberta – esteja pronto para a escutar, aprender algo novo – e, assim, ao mudar sua perspectiva, poderá gerar mudanças nos demais.